Skip to content

Condomínio Santa Thereza implanta Digifort e soluciona demandas de monitoramento IP

Enviado por marcelino - 30/07/2013 - Casos de Sucesso, Fotos, Geral, Notícias

Considerado o maior complexo residencial privativo da cidade de Santos/SP, local possui o próprio Centro de Comando e Observação Eletrônica (CECOE)

.

Por Marcelino Silva – marcelino@mscommidia.com.br.

.

CECOE opera a vigilância local 24 horas por dia

Quando falamos em vigilância condominial, remetemos o pensamento para edifícios com vários andares ou para um conjunto de casas agrupadas num determinado loteamento horizontal. Em Santos/SP, o Digifort está auxiliando na operação de uma localidade com características bem particulares neste quesito. Trata-se do “Condomínio Vila Residencial Jardins de Santa Thereza”, mais conhecido como “Morro Santa Therezinha”. São cerca de 100 casas espalhadas por 7,5 quilômetros de ruas, 340 mil metros quadrados de área verde e um cume que pode chegar a 220 metros de altitude, tudo isso de frente à Baía de Santos.

.

O local possui a chamada administração “orgânica”, onde segurança patrimonial, manutenção e tecnologia são operadas por equipes próprias. Esta filosofia contempla a estrutura de vigilância eletrônica e monitoramento IP (Internet Protocol) do condomínio. Entre analógicas, digitais, noturnas (infra-red), fixas e móveis (speed dome), o complexo abriga 75 câmeras, estrategicamente posicionadas em postes, mastros e camufladores. Elas são interligadas por um anel óptico, composto por conversores de mídia e dois mil metros de fibras ópticas, instaladas em trechos aéreos e subterrâneos pelo território do morro.

.

“Adotamos a fibra óptica por causa da geografia local e pela elasticidade técnica que oferece. Além de um sistema de monitoramento 100% IP, explorando infinitas possibilidades do Digifort, ela nos dará suporte a múltiplos serviços de TV, telefonia e Internet de alto desempenho. Em relação ao software, temos licenças da versão Enterprise 6.6, alguns módulos de análise inteligente de vídeo e a mesa controladora. Já colocamos em projeto a aquisição do LPR Digifort, leitor biométrico e módulo de alarme e automação. Também iremos migrar as câmeras analógicas para digitais de alta definição”, conta Cristiano Molinari, diretor da FyberNet Serviços, integradora tecnológica que presta consultoria ao condomínio.

.

Mesa controladora Digifort faz parte da solução IP

Conforme explica Mauro de Lima, supervisor de segurança patrimonial do Santa Thereza, o Digifort surpreendeu sua equipe. “Com tantas câmeras em operação, sabíamos da necessidade de um produto de qualidade. Pesquisamos o software no mercado e verificamos vários casos de sucesso juntos a governos, empresas e órgãos de segurança. Com ele em funcionamento, já foi possível flagrar infrações, gravar ocorrências e orientar usuários sobre limites de velocidade no condomínio. Também nos agradou o fato do primeiro atendimento ter sido feito pelo próprio Carlos Eduardo Bonilha, diretor executivo do Digifort”.

.

CECOE – De forma pioneira na cidade, em termos de tecnologia, infraestrutura e operação, o residencial santista possui a própria central de controle. Batizado de CECOE (Centro de Comando e Observação Eletrônica), a sala monitora 24 horas por dia a movimentação do condomínio. Esta retaguarda é composta por analista de informática, agentes de segurança e rondas motorizadas. O ambiente também concentra o coração tecnológico do sistema de monitoramento IP, composto por servidores de última geração, modernos switches para tráfego de dados, unidades storages para armazenamento das imagens e seis painéis de LED em 47 polegadas para visualização em tempo real de todas as áreas vigiadas.

.

“Os recursos para observação de perímetro, intrusão, objetos suspeitos, detecção de movimentos e veículos em trânsito são os mais utilizados. Já realizamos capacitação no Centro de Treinamento Digifort, mas a cada dia surgem novidades. Sua interface é amigável e a velocidade de resposta na busca dos arquivos é ótima. Armazenamos até 90 dias de imagens e gravamos no formato H264. A parte de auditoria do software também é interessante, pois podemos saber o que ocorre no monitoramento e até policiar a operação do sistema em si. O suporte técnico do Digifort possui pronto atendimento, facilitando o nosso dia-a-dia. É um aprendizado constante”, conclui Ricardo Peixoto, responsável técnico pelo CECOE.

.

Câmeras “speed dome” monitoram o leito viário no condomínio

História – Nos anos 40, o local era chamado de “Morro do Loureiro”, numa referência a Francisco Loureiro, proprietário do terreno na época. Neste período foi aberta a primeira estrada de acesso e construída a capela de Santa Therezinha no topo da colina, dando novo batismo ao bairro. Na década de 60, o empresário Cláudio Doneux comprou o morro, urbanizando ruas e comercializando lotes no formato de condomínio. Reconhecida como uma das principais áreas privadas de Mata Atlântica de São Paulo, o residencial preserva fauna e flora típicas deste tipo de bioma. Os moradores atuais estudam a instalação de uma estação ecológica para visitação, promovendo o turismo e a educação ambiental no local.

.

“No fim da década de 90 surgiram demandas por CFTV (Circuito Fechado de Televisão). No início, estes sistemas só possuíam tecnologia analógica. Então fomos convidados a desenvolver uma solução que agregasse imagens em tela única e gravasse com câmeras IPs, adquiridas por um condomínio na Serra da Cantareira/SP. Foi diante deste desafio que iniciamos o desenvolvimento pioneiro do nosso software. Agora, temos o prazer de atender o residencial Santa Thereza, remetendo ao início desta trajetória no mercado de IP Surveillance System”, revela Carlos Eduardo Bonilha, diretor executivo do Digifort.

.

Digifort – É o primeiro software brasileiro para monitoramento IP, CFTV Digital e armazenamento eletrônico de imagens. Conhecido no mercado como um IP Surveillance System, o produto possui recursos, equipamentos e soluções tecnológicas avançadas para as áreas de inteligência digital, vigilância empresarial e segurança urbana. Possui cerca de 190 fabricantes integrados e 3500 modelos de câmeras homologadas. Atualmente, sua plataforma é desenvolvida continuamente no Brasil, comercializada em mais de 80 países e traduzida em vários idiomas, fazendo do software um dos melhores em avaliações do mercado internacional. Mais informações estão disponíveis no site www.digifort.com.br.

.

Veja as fotos desta reportagem na galeria abaixo.

Fotos: Marcelino Silva / MSCom Mídia – www.mscommidia.com.br.

.

Matérias relacionadas

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta matéria.

Comentar