Skip to content

Digifort e Axis ajudam Feira de Santana no combate à violência com tecnologia de alta definição

Enviado por marcelino - 25/11/2014 - Casos de Sucesso, Fotos, Geral, Notícias

Projeto de videomonitoramento no interior da Bahia envolve software Digifort e mais de 200 câmeras fixas e móveis fabricadas pela Axis Communications

.

Por www.axis.com / www.mscommidia.com.br.

Fotos: Divulgação / Axis Communications.

.

Tecnologia Axis e Digifort é destaque no projeto

O município baiano de Feira de Santana, a 100 quilômetros de Salvador, contava com 18 câmeras analógicas para uma população superior a 600 mil pessoas. As imagens eram de baixa resolução e a Polícia não podia contar com esse recurso para resolver crimes.  Foi realizada uma análise dos índices de violência, inclusive nos distritos de São José e Humildes, pertencentes ao município, para determinar os pontos que viriam a compor um novo sistema de videomonitoramento. “O estudo que vamos ler é a prova de que a versatilidade do Digifort e a união entre integradores, fabricantes e distribuidores oferecem as melhores soluções tecnológicas ao cliente final”, Carlos Eduardo Bonilha, CEO do Digifort.

.

Solução – O projeto foi criado pela Wimaxi, integradora de sistemas parceira da Axis Communications, especializada em cidades digitais, com rádios da Radwin, parceira da Axis. São 106 câmeras de rede AXIS Q6034-E, do tipo PTZ, capazes de realizar movimentos de pan, tilt e zoom para monitorar cruzamentos e áreas que exigem inspeção com abrangência de 360 graus, e 96 câmeras do modelo AXIS P1354-E, dedicadas ao monitoramento de áreas com alto fluxo de pessoas, como corredores, estações de ônibus e entradas de prédios públicos. Ao todo, foram 202 câmeras de alta definição geridas pelo software da fabricante Digifort, parceira da Axis.

.

Resultados – O projeto de segurança urbana se somou a 320 pontos de rádio interligando 150 escolas e 28 unidades públicas de saúde, e a 122 pontos de acesso público a banda larga, fazendo de Feira de Santana uma das maiores cidades digitais do País. As câmeras analógicas foram descartadas. “Já estamos com a proposta de ampliação do sistema. É um serviço que todo mundo busca quando falamos em segurança, justamente a integração de todos os órgãos do setor”, certifica Mauro Moraes, secretário de Prevenção à Violência de Feira de Santana.

.

Fibra Óptica e Rádio – Para Victor Soares Bezerra, diretor da Wimaxi, “a escolha por câmeras digitais de alta definição é fundamental para gerar imagens confiáveis, capazes de ajudar na identificação de autores de crimes”. Todas as imagens são acessadas pela Guarda Municipal e pelas polícias Civil e Militar na Secretaria de Prevenção à Violência, dentro de uma central com um videowall.

.

A transmissão dessas imagens em alta definição foi sendo viabilizada pela adoção de um sistema de redes híbrido, combinando backbone em fibra óptica e duas estações rádio base já montadas, uma no centro da cidade e outra na serra de São José, situada a 28 quilômetros do centro (uma área desprovida de infraestrutura elétrica, onde a estação é abastecida por energia solar e eólica). Os rádios que transmitem as imagens das câmeras foram usados para locais mais distantes, onde a infraestrutura cabeada não consegue chegar. Foi escolhida a serie 5000 ponto multi ponto e 2000 (ponto a ponto) da fabricante Radwin, distribuídos através da WDC Networks.

.

Diversas regiões da cidade foram beneficiadas

“A tecnologia atual dos rádios Radwin é diferente dos rádios convencionais”, afirma Marco Santoro, gerente de desenvolvimento de negócios da WDC. “Por ele ser assimétrico, é possível dividir a banda conforme o interesse. Para a transmissão de imagens, é possível colocar, por exemplo, 8 Megas de download, recebendo as imagens, e 2 Megas para upload, para mandar o controle de PTZ”, explica. Outra vantagem é que, com o rádio, é possível economizar tempo e, dependendo da distância, os custos.

.

Para uma segunda fase do projeto, estuda-se a instalação de câmeras em outros distritos e o uso de recursos de análise de vídeo, como a leitura de placas de veículos e a identificação automática de invasão a áreas de acesso restrito. Essas inteligências já são suportadas pelos modelos de câmeras adotados e poderão ser agregadas ao software de gestão de imagens da Digifort.

.

Dados básicos do projeto:

.

  • Segmento da indústria: Governo.
  • Localização: Feira de Santana | Bahia – Brasil.
  • Aplicação: Monitoramento Urbano.
  • Organização: Prefeitura Municipal de Feira de Santana/BA.
  • Parceiros: Axis, Digifort, Wimax e Radwin.

.

Mais informações estão disponíveis em www.axis.com.

.

Digifort – É o primeiro software brasileiro de “Monitoramento IP” e armazenamento digital de imagens. Conhecido como um IP Surveillance System, o produto possui recursos, equipamentos e soluções tecnológicas avançadas para as áreas de inteligência digital, vigilância empresarial e segurança urbana. Possui aproximadamente 12 mil clientes mundiais e cerca de 200 fabricantes com mais de 4000 modelos de câmeras integradas. Atualmente, sua plataforma é desenvolvida continuamente no Brasil, comercializada em mais de 100 países e traduzida em vários idiomas, fazendo do software um dos melhores em avaliações do mercado internacional. Mais informações estão disponíveis no site www.digifort.com.br.

Matérias relacionadas

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta matéria.

Comentar