Skip to content

Tecnologia inovadora do Digifort a serviço da agilidade operacional no grande Porto do Brasil – O Porto de Santos

Enviado por marcelino - 18/12/2013 - Casos de Sucesso, Fotos, Geral, Notícias

Alfândega do Porto de Santos inaugura Central de Operações e Vigilância (COV). Pioneiro na segurança e integração de recintos alfandegados no Brasil, equipamento foi concebido com tecnologia de software Digifort e conectividade ConsulData

.

Por Marcelino Silva – marcelino@mscommidia.com.br.

Fotos: Marcelino Silva / MSCom Mídia – www.mscommidia.com.br.

.

Autoridades participaram do lançamento da COV

A data de 06/09/2012 instituiu um novo marco no setor portuário, com a publicação das portarias 228, 229 e 230 pela Secretaria da Receita Federal (SRF). Elas aprovam e publicam um novo modelo para segurança, controle e vigilância portuária no Porto de Santos, o maior da América Latina. Os instrumentos determinam que todos os recintos alfandegados entreguem no edifício sede da Alfândega, localizado no Centro Histórico de Santos/SP, as imagens em tempo real de seus sistemas de CFTV (Circuito Fechado de Televisão), OCR (Reconhecimento Óptico de Caracteres) e scanners de precisão. Todos deveriam disponibilizar um link para comunicação de dados, computador e monitor de vídeo para consulta local dos fiscais da Receita.

.

Os dispositivos têm vigência em janeiro de 2014. Com isso, os terminais iniciaram de forma autônoma o comprimento das regras, entregando individualmente seus sistemas no local estabelecido. Isso fez surgir uma nova demanda operacional. O que facilitaria a ação dos agentes federais, na verdade apresentou um modelo que poderia comprometer suas atividades. Numa mesma sala, eles teriam vários sistemas operando softwares, computadores e telas distintas, prejudicando a consulta, controle e velocidade das informações. Para solucionar tal cenário, surgiu o projeto da Central de Operações e Vigilância da Alfândega do Porto de Santos (COV), reunindo com tecnologia integrada 20 recintos alfandegados na fase inicial.

.

Com o apoio da Alfândega, consultoria técnica da Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegados (ABTRA), software Digifort e conectividade de dados da integradora ConsulData, a COV foi inaugurada em 19/11/2013, depois de passar por toda a fase de consultoria, infraestrutura e implantação ao longo de 2013. Representantes das Forças Armadas, empresários e autoridades públicas prestigiaram o evento que marcou o início das operações. “Estamos felizes pelo esforço dos nossos colaboradores, após quase um ano de trabalho e dedicação ao projeto. Investimos R$ 1 milhão em prol da autoridade federal e da segurança no Porto de Santos”, destaca Antonio Carlos Cristiano, diretor da ABTRA.

.

Painel com 12 monitores permite visualizar áreas do porto

Segundo Richard Neubarth, chefe da Divisão de Vigilância e Controle Aduaneiro da Alfândega do Porto de Santos, a COV proporciona maior agilidade na verificação dos ilícitos em todo o complexo portuário santista. “Parte do trabalho que era feito em campo, agora será realizado internamente, com tecnologia de ponta auxiliando em tempo real. Nesta fase inaugural, já temos o funcionamento de aproximadamente 1500 câmeras e dez scanners de alta penetração sob nossa supervisão. A fiscalização de carga e descarga e acesso às áreas de cais com jurisdição federal ganhou precisão, agilidade e abrangência de imediato”.

.

Para Cleiton Alves dos Santos, inspetor chefe da Alfândega, além de melhorar as condições de trabalho dos agentes federais, a COV beneficia toda a cadeia aduaneira, sob o ponto de vista administrativo e operacional. “Estamos no maior porto do continente, composto por uma imensa estrutura. Temos agora maior controle, pois tudo está disponível para consulta em arquivo ou tempo real. Podemos presenciar vários terminais simultaneamente, mesmo que eles estejam longe uns dos outros. Em caso de suspeita, podemos identificar o caso à distância e ordenar uma ação pontual. O nosso servidor aumenta a produtividade, enquanto o despachante aduaneiro ganha rapidez na liberação de suas cargas”.

.

Infraestrutura – Com soluções da ConsulData, em parceria com o Digifort, a tecnologia do COV é composta por um servidor e 12 monitores de vídeo com 42 polegadas, respeitando padrões internacionais. Isso possibilita a visualização das imagens em mosaico e matriz virtual, independentemente dos softwares utilizados pelos recintos. “Quase que 100% dos terminais portuários em Santos já utilizam o Digifort para monitoramento de suas operações. Mesmo assim, convertemos as imagens de outros sistemas dentro da COV, facilitando a operação da Receita numa única plataforma, pois seus ficais já aprovaram as facilidades e recursos do nosso software”, relata Carlos Eduardo Bonilha, diretor executivo do Digifort.

.

Além cumprir as portarias e prover competitividade ao porto, o projeto foi concebido com elasticidade técnica, permitindo ampliar usuários e recintos no sistema. “Trabalhamos na concepção de um PIX (Ponto de Interconexão de Redes) com modernos equipamentos, viabilizado pela estrutura do nosso Data Center (ConsulData Cloud) e conectividade por rádio enlace, links privativos e fibras ópticas. Conseguimos atender as exigências de banda larga e tráfego de vídeo com alto desempenho que o sistema requer. Com isso, ao invés de contatar vários terminais, a Receita terá na ABTRA um único ponto de comunicação a respeito do COV”, explica Guilherme Passos de Souza, diretor de operações e estratégia da ConsulData.

.

Richard demonstra o sistema em operação na inauguração

Segundo as portarias e o fluxo estabelecido para a COV, os recintos são responsáveis em armazenar as imagens (backup e storage) e disponibilizá-las em tempo real à Alfândega. Em casos específicos, o agente federal solicita uma imagem à ABTRA e a entidade providencia de forma rápida e segura junto ao terminal correspondente. “Em se tratando de tecnologia, alfandegamento, e segurança portuária, este projeto é pioneiro no Brasil. Com a imprescindível colaboração da nossa equipe técnica, apoio da Receita e parceria tecnológica da integradora ConsulData e do software Digifort, conseguimos criar um modelo de referência e sucesso para todo o País”, comemora Vander Serra Abreu, gerente de TI da ABTRA.

.

Mais informações sobre ABTRA e ConsulData em www.abtra.com.br e www.consuldata.com.br.

.

Digifort – É o primeiro software brasileiro de “Monitoramento IP” e armazenamento digital de imagens. Conhecido no mercado como um IP Surveillance System, o produto possui recursos, equipamentos e soluções tecnológicas avançadas para as áreas de inteligência digital, vigilância empresarial e segurança urbana. Possui mais de 12 mil clientes mundiais, 200 fabricantes integrados e 3500 modelos de câmeras homologadas. Atualmente, sua plataforma é desenvolvida continuamente no Brasil, comercializada em mais de 100 países e traduzida em vários idiomas, fazendo do software um dos melhores em avaliações do mercado internacional. Mais informações estão disponíveis no site www.digifort.com.br.

.

Veja as fotos desta reportagem na galeria abaixo.

Fotos: Marcelino Silva / MSCom Mídia – www.mscommidia.com.br.

.

Matérias relacionadas

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta matéria.

Comentar